REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

segunda-feira, maio 28, 2012

Sou tudo, sou nada


Sou nuances dividida
Sou a alva da madrugada
O negro da despedida
Sou o doce da paixão
O salgado da desilusão
Sou o despertar da vida
A perda da ilusão
Sou a alegria prometida
A lágrima da despedida
Sou a face desnuda
A alma em oculto
Sou a emoção nascida
O sentimento sepulto
Sou dia iluminado de sol
A noite escura sem lua
Sou do porto seguro o farol
O sem saída da rua
Sou eu
Inteira...
Sem eira e nem beira
Estranha sensação de ser
O certo e incerto
Do tudo, do nada.

Um comentário:

Márcia disse...

Tantos Eus em nós mesmos... lindo o sentido, adorei, beijos poetisa. Feliz por estar aqui e por vc ter estado no meu cantinho.


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores