REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

sexta-feira, outubro 26, 2018



Em tuas falas a vida me diria Que nos açucarados dias meus São de sal as minhas lágrimas Pois o bonito aí está, me diria a poesia Da mesma lágrima nenhuma face se molha duas vezes Em dias nublados se muda os tons de cinza Há sol na maioria dos dias Nas noites também se brilha as estrelas E todo instante é milagre No meu jardim eu cultivo as rosas Sabendo que de passagem estão Regá-las nos é necessário Ainda que doa... eu me recuso em não sentir E como me dói! O desejo de eternidade nos milagres que me beijam.
💕
Observação: a edição desse vídeo é um presente carinhoso da minha sempre querida amiga (fadinha)

quinta-feira, setembro 13, 2018


Do meu caminho construí cada momento...
Desenhando uma história feita de amor, sorrisos e lágrimas.
Eu fui contornando as minhas pegadas de cada dia.
Entre vitórias e derrotas
Qualidades e defeitos
Está, sou eu, tendo as palmas das mãos o inteiro e o melhor de mim.
Pois, apesar dos medos, das tristezas e desilusões.
Eu continuo crendo nos sorrisos sinceros,
Nos afagos de alma que me convidam a ir junto...
A relembrarem-me que nos volteios que a vida dá,
Entre uma pegada e outra, não estou só.

segunda-feira, setembro 03, 2018


Sim, é preciso saber colocar afago e ternura nas pontas dos dedos...
E acarinhar delicadamente as amorosidades e fragilidades de cada um.
É preciso saber acolher o certo e o incerto de cada coração...
Mas principalmente é preciso saber doer junto.
Pois só quando aprendermos a enxergar e respeitar a nudez da alma alheia
É que estaremos aptos a benevolência do amor incondicional.

segunda-feira, outubro 09, 2017


Ah! Respiro
Coração descompassado
Bate acelerado
Sim, eu respiro...
Até mesmo com certo espanto
O agridoce cheiro do recomeço
Liberdade... De passos largos, é a vida que chega.
Desaprendendo a permanecer
De mochila às costas
A alma parte.


Com um sorriso mal disfarçado

Indiferente a fragilidade do momento
O tempo passa mais uma página do livro.


Tic tac

Os ponteiros voam...

Às vezes por comodismo e até mesmo por medo
 nos mantemos atados ao invisível cordão do apego.
Queira mais!

terça-feira, julho 05, 2016

🌹🍃*
Nos varais dos meus dias
estendi delicadezas...
É assim que a vida vai se fazendo
em doces bocadinhos
entre as asperezas
desse mundo tão sofrido.
Que nos seja leve!


sábado, setembro 12, 2015


Há-me uma saudade agrilhoada ao peito
Que não posso simplesmente jogar fora...
Tantas e tantas páginas há escritas nessa saudade
Páginas e paginas de fragilidades
De abraços demorados
De carinhos desenhados
De cheiros e sabores compartilhados
São caminhos feitos por dentro...
Porquanto não é possível a alforria
Desse triste poema
Que foi escrito em mim.




De repente é assim uma dor espalhada...
E você até entende esse dolorido espalhamento.
                  Pois o coração é um órgão pequeno
Para caber tanto sofrimento.
                                 Quando a dor é demais
O peito não consegue reter o choro contido.
É tempo de fragilidade, mas isso também passa...
Correm os minutos, as horas, os dias... O tempo.
E você começa a perceber que já não dói tanto
Pois somos feitos de reconstrução...
E um belo dia você se pega sorrindo de dentro pra fora
É tempo de floração...
Vez ou outra pode até latejar abaixo da cicatriz
Mas você coloca aquele sorriso lindo no rosto
E agradece...
Pois é tempo de celebração.



Apesar de... A vida se faz terna.
As delicadezas insistem
e persistem em brotar-me.


sábado, agosto 15, 2015


Os dias difíceis me ensinaram
A não desistir e a reconhecer
Que por mais gigantes
Que me sejam os obstáculos
A minha fé é ainda maior.



O tempo passou...
Mas tua presença é latente
No cerne da minha (in)quietude
Pois no fundo do meu ser
Tu te refugias...
E continuas
Sendo momentos em mim.



O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores