REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

terça-feira, maio 29, 2012

A profundeza do meu próprio eu


Sou sombra nua,
Iluminada pela luz da lua;
A profundeza do meu próprio eu.
Silhueta esboçada no chão,
Que se transforma em breu;
Quando a luz se apaga!
E meu céu se cobre de nuvens.
O frio me consome...
Num despertar de sentimentos.
Conflitantes!
Pela dormência da solidão.
Serei eu inteira sem ti?
 Sinto-me dividida,
Sob a noite escura.
Anseio por tua imagem,
Sinto a saudade acoplada no vazio;
Quase num diluir de mim.
Responda-me a sombra sou eu?
Serei eu apenas uma miragem!


Nenhum comentário:


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores