REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

domingo, novembro 24, 2013


Gosto quando a vida me abraça
Com uma felicidade mansa.
Olhando-me dentro...
Sem truques e sem manobras.
Com seu olhar apenas me dizendo
Do deslumbramento das promessas.
Sem o exaspero dos assombros
Estampado em seu rosto.
Quando as dores, as lágrimas...
Me são sempre uma incógnita.
Não fujo as regras da vida.
Mas fatalidades imprevistas
Por vezes me minguam as forças.
Os seus espantos tendem a furta-me o colorido...
Aguento e reinvento.
Mas não nego que o "esperado” é-me benfazejo.
Por isso sou-lhe grata 
Quando ela bota um pouco de poesia no olhar.
E me dá aquele abraço bondoso.

4 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Maravilhoso poema. Quando a vida nos sorri e abraça, tudo se ilumina ao nosso redor.
Bom domingo
beijinhos
Maria

Sónia M. disse...

Lindo poema!
Deixo um abraço carinhoso.

Beijo

Sónia

Paulo Francisco disse...

É o que queremos sempre: Um abraço da vida, um abraço apertado e quente.
Um beijo grande

edumanes disse...

Está muito lindo o teu cantinho
Por ele estou apaixonado
Infindável mundo de carinho
Aqui neste paraíso encontrado!

Fiquei sensibilizado
Para ti escrevo estas palavras
Quando aqui venho fico encantado
Pelos teu lindos olhos sem lágrimas!

Boa noite e um beijo
para você amiga may lu,
Eduardo.


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores