REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

terça-feira, agosto 13, 2013

Desafeto com o tempo


Tempo, tempo, tempo...
Que tal ponderar?
Seja célere em meus momentos insanos
Seja mais brando em meus momentos de ternura.
Tempo, tempo, tempo
Que teima em ser afável em meus dias de lamentos.
Obstinado prolonga-me as horas de angustias
E assim bebo as minhas dores em gotas.
Porque ser tão comedido em meio aos meus tormentos.
Sinto-me aprisionada diante dos seus passos lentos.
Tempo, tempo, tempo
Tão fugaz e tão efêmero a roubar-me indiferente 
Os momentos de doçuras.
Dissimulado e nada bondoso 
Não deixas que minha alegria floresça.
Tempo, tempo, tempo
Respeite as minhas idas e vindas.
Deixa de teimosia
Deixa-me ser poesia.

2 comentários:

✿ chica disse...

Linda e bem inspirada poesia com o tempo danadinho que voa, voa... beijos,chica

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

Hermosa Poesía sobre la inexorabilidad del Tiempo.
Esos momentos lentos en los que nos domina la frustración y la añoranza y, por el contrario, esos instantes acelerados que pasan sin darse cuenta cuando hay ternura y Pasión.
Abraços.


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores