REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

quarta-feira, junho 13, 2012

Natureza morta


Da minha janela...
Vejo tantos sonhos despojados
Tantas indiferenças... Cheias de nada
Tantos crepúsculos sem alvoradas!
Há tantos passos vazios
Caminham pelas ruas escuras
De suas noites sem dias. 
Suaves sopros de vidas...
Indiferentes às calmarias
Indiferentes às tempestades
Ausentes de tudo
Fantasmas em revoada!
Perdidos, esquecidos...
Em seus mantos de silêncios.
Da minha janela
Vejo...
                     O vazio
                                                  O abandono
                Corpos sem almas.


Nenhum comentário:


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores