REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

terça-feira, junho 12, 2012

Há esperanças a brotar



Pudesse eu, amado, em ti anoitecer.
Numa viagem sem regresso
Até o amanhecer.
 E prender a eternidade 
Em meio às promessas colhidas.
Pudesse eu, amado, vestir a noite de magia.
 Deixar que a madrugada nos envolvesse...
Materializando os sonhos
Beijados por nossas almas.
Pudesse eu, amado
Em minhas mãos atar as ilusões...
Tecidas por um fio de tempo.
E por um momento apenas
Prender-nos a perpetuidade.
Mas posso eu, amado, guardar dentro de mim.
Tudo o que há para ser sentido
Tudo o que já sei de cor.
Que é quando teu olhar pousa no meu
Fazendo-me acreditar
Que a eternidade passou a acontecer
Quando o amor se fez "presente"
Dentro de cada instante.

Um comentário:

edumanes disse...

Há esperanças a brotar
Muito amor no coração
Vão as borboletas a voar
Para onde é que elas irão!

Perdidas na ilusão
Andam pelas ruas de noite ao luar
Carregam no peito a paixão
Que o amor não quis partilhar!

Nessa viagem sem regresso
Quando isso acontecer
Só de pensar fico triste confesso
Sempre ó bom ver o sol nascer!

Boa quarta-feira
um beijo
Eduardo.


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores