REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

sábado, setembro 12, 2015


Há-me uma saudade agrilhoada ao peito
Que não posso simplesmente jogar fora...
Tantas e tantas páginas há escritas nessa saudade
Páginas e paginas de fragilidades
De abraços demorados
De carinhos desenhados
De cheiros e sabores compartilhados
São caminhos feitos por dentro...
Porquanto não é possível a alforria
Desse triste poema
Que foi escrito em mim.


5 comentários:

Edumanes disse...

No seu corpo perfeito vi,
na sua beleza escrito o tema
porque alguém escreveu em si
esse que eu li tão lindo poema!

Boa noite e boa sonhos,
amiga May Lu, um beijo.
Eduardo.

Edumanes disse...

Corrijo; Boa noite e bons sonhos!

Maria Rodrigues disse...

A saudade dilacera o coração.
Lindo poema
Beijinhos
Maria

Antonio Batalha disse...

Neste novo ano estou a tentar visitar todos os amigos da Verdade Em Poesia afim de lhes desejar um 2016 muito feliz cheio de grandes vitórias e muita saúde e Paz.
António.
Ps. Tive de seguir novamente pois estava a seguir sem foto.

António Jesus Batalha disse...


Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, pois por uma acção do google meu perfil sumiu e estava a seguir o seu blog sem foto e agora tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
António Jesus Batalha.


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores