REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

domingo, outubro 27, 2013


Às vezes é preciso lamber as chagas
Das nossas feridas abertas.
É preciso escorrer pelos cantos da boca 
O amargo da lesão.
É preciso provar da dor...
A polpa quente e latente
Entalhada no nosso avesso.
É preciso sorver o sangue...
Até sentir o doce da seiva.
Em novedio nas brechas das nossas alma.
Para que nos inicie a cicatrização.




Um comentário:

Sónia M. disse...

Consigo apreciar o doce, porque provei o amargo...


Muito belo, May. Gostei mesmo muito!

Beijos

Sónia


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores