REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

terça-feira, agosto 20, 2013

Gosto de frestas


Gosto de frestas
Pois quando o mundo parece-me sombrio, as cores escondem-se...
As frestas com todas suas pequenezes deixam-me entrar os insistentes raios de sol.
Gosto de frestas
Pois que são pequeninos feixes de luz a iluminar-me o caminho
Quando minha alma encontra-se ao meio de tenebrosa escuridão.
Frestas são teimosas
Já que penetram em espaços inacessíveis de mim
Sondam-me, acalmam-me e me salvam.

Um comentário:

Malu Silva disse...

As frestas nos faz tocar o imperceptível, amiga!! beijinhos...


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores