REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

segunda-feira, maio 13, 2013

Abriram-se as cortinas



Horizontes indefinidos não me cabem no olhar.
Não me há tempo para decifrar cores
Em obscuridades que não pintei.
Já não há espaços vazios dentro de mim.
A nebulosidade sussurrou-me um adeus.
E aquarelas inteiras jorram-me em sentires
De um verão permanente.


6 comentários:

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa noite
May Lu
engraçado... eu penso que esses versos de sua própria autoria,
"Nunca ache que já viu todas as cores de um jardim. A cada segundo haverá sempre um colorido diferente..."foi o início dos sussurros da nebulosidade quando disse adeus.
Obrigado pelo carinho da visita
Boa semana
Beijos

edumanes disse...

Nas cores da tua vida
Nelas penso eu
Planta verde florida
Da semente nasceu.
Fiquei para ela a olhar
Lá no monte
Quando ia a passar
Junto de uma fonte
Os olhos fui lavar
Para melhor no horizonte
Ver o sol a brilhar!

Boa noite e um beijo
para você, amiga may lu.
Eduardo.

ॐ Shirley ॐ disse...

Muito bonito, May Lu. Um beijo!

Anônimo disse...

May Lu.Que belo,amiga!

Sair da escuridão,da obscuridade para decifrar mais cores!

Vc é uma poeta e das melhores! Sempre devemos procurar novos horizontes e cores para recomeçar tudo e ser feliz!

Obrigada pela visita e volte mais vezes,amiga.Estava sumida!

Se leu meu último post,estou formando um grupo de blogs amigos para receber atualizações somente com quem prestigia minhas publicações.

Seu blog e vc farão parte dele.

Beijos e lindo domingo de aquarela!


Donetzka

Cadinho RoCo disse...

Precisamos estar sempre abrindo espaço.
Cadinho RoCo

Maria Luisa Adães disse...

Mas há Esperança!...

Em mim,
Tudo tão diferente...

Mª. Luísa


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores