REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

quinta-feira, junho 28, 2012

O poeta no papel


O poeta aguça os sentidos...
Acordando as palavras.
E estabelece uma linha
 Conjugal com a escrita.
Colando os pedaços que faltam 
Da poesia que escoa pelo tempo.
Somente a alma de um poeta 
Consegue sentir essa carência.
O essencial...
Alimento das emoções
Que nutre o poema.
O poeta relata tudo que há
E o que não há.
Concebendo dentro das letras.

Um comentário:

edumanes disse...

Nas cores da viva me perco
Com elas me identifico
Sempre delas estarei perto
Longe delas triste fico!

Por isso estou aqui
Não me mande embora por favor
Me sinto seguro junto de si
Como da planta nasce a flor!

Boa quinta-feira, obrigado pela visita e comentário,
um beijo
Eduardo.


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores