REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

sexta-feira, março 23, 2012

Riacho doce


O riacho ao fundo do quintal
Era meu refúgio
Minha doce lembrança
Das minhas horas de fuga
 Onde deixava meus farrapos...
Minhas dores e medos
Escorriam em suas abundantes águas 
Levados à quilômetros de distância
Pelas copiosas correntezas 
Balançando suas crinas
Eu me via no reflexo espelhado das águas
Eu quase me reconhecia 
Em meio aquela visão deslumbrante
Entre os musgos e peixinhos
Em minha iminente sanidade
Divisava um meio-sorriso no canto da boca
Um brilho fugaz me iluminando os olhos
Num reencontro comigo mesma...
Mais serena e mais forte
Eu retornava em silêncio 
Caminhava para casa
Para estar novamente
Cara a cara com meus demônios.

Um comentário:

Simone MartinS2 disse...

"Eu retornava em silêncio
Caminhava para casa
Para estar novamente
Cara a cara com meus demônios."

Menina tu és poetisa fenomenal!
Tece as palavras e embaralhas cada verso como se quisesse nos levar pela tua alma...Adoro te ler!
Parabens sempre...bjinhos


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores