REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

terça-feira, fevereiro 21, 2012

águas da vida


Não tenho mais tanta pressa
Recrio os sons... A textura
Da emoção
Dos risos soltos no tempo
Sintonia mágica
Da eterna madrugada molhada
Onde todas as águas dormem
Deitam-se águas tranquilas
Descansadas de suas turbulências
andarilha que sou 
Viajo por todo o mundo
Ora água plácida e límpida
Ora tempestuosa... violenta
Porto seguro para uns
E naufrágio para outros
Quantos corações sonhadores
 navegam por minhas águas?
Deságuam suas lutas
Suas fugas
Em meu leito
Derramam suas lágrimas
De alegrias e de tristezas
E as recolho todas
Absorvo como um néctar
São águas de minhas águas
Precisam de mim para viver.


Nenhum comentário:


O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores