REVELAÇÃO

Pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.


Oswaldo Montenegro

quinta-feira, abril 23, 2015

O amor de Deus nos beija a cada instante!


A suavidade da ternura era tanta,
Que me estremeceram os cílios.
Pois eu sabia que Deus estava ali
Beijando-me os olhos.



Se não podes me ofertar as tuas flores... Não me atires as tuas pedras...


Não que eu me importe com a sua alma pequena
Mas vou lhe dar um conselho...
Não perca o seu tempo
Lançando-me as tuas pedras
Pois o meu telhado não é de vidro.



terça-feira, abril 14, 2015

Renovações têm cheiros...


Gosto desse cheirinho de ternuras novas
que os ventos estão sempre soprando.
Cheirinho de novos caminhos, de novas amorosidades...
É aquele cheirinho bom que antecede as novidades, os recomeço.
É um cheirinho doce no ar... Cheirinho de amor renovado.
Você sabe o que é um amor renovado?
São os afagos, os carinhos, as gentilezas e as delicadezas de cada dia...
São gestos bonitos que 
quando devidamente irrigados estão sempre em brotamentos.
E tão lindamente nos beija a alma e o coração.


segunda-feira, abril 13, 2015

Se faça em cores... Mesmo que os dias sejam de sombras.


Ilumine o mundo com as suas cores preferidas
Pois os dias são coloráveis!
Não há sombras que permanecem por muito tempo
Para aqueles que trazem as cores do amor dentro de si.



Das amizades...


Amizade bonita é aquela que desmancha em sorrisos
A cara amarrada de alguns dias.
Amizade bonita é aquela que nos ajuda a desatar os nós
Feitos dos não que a vida às vezes nos oferece...
E a transformá-los em adoráveis laços feitos de sins.
Amizade bonita é transcendente dentro do tempo,
da distância, da religião, da raça, da cor da pele, do sexo e da idade.
Amizade bonita é simples assim, feita de calor, amor e respeito mútuo.
E de uma coisa eu tenho certeza:
Que amizade bonita é feita de lembranças boas...
Tenha ela durado meses, anos ou uma vida inteira.

Por acreditar...

             
Em tempo algum eu pensei que seria fácil...
Mas eu sabia que Deus me guiava em cada passo do caminho.
E por assim acreditar... Eu caminhei.


quinta-feira, abril 02, 2015

Ternuras e coragem de uma menina...


Muitos dizem que devemos seguir em frente
E não olhar pra trás...
Mas os sentimentos vividos em mim
Assim não o permiti.
E vez ou outra me pego dando aquela olhadinha
Para aquela menininha que um dia eu fui
E penso comigo: poxa o quanto eu cresci!
E de repente percebo que já sorri por ela
Que já chorei por ela
Mas nunca lhe agradeci...
Sim, nunca lhe agradeci pelas vezes em deixou os seus espantos,
E os seus medos em um canto
E correu lá fora para brincar...
E celebrar a vida como qualquer criança.
Nunca lhe agradeci...
Pelas vezes que o seu sorriso escondeu as tristezas,
As lágrimas e as dores
E foi se alargando em esperança...
Pois é, o tempo foi passando
E um belo dia eu não mais enxerguei a criança
A deixei lá... Escondidinha no casulo de mim.
Mas a tal não o fiz por medo de reviver os seus assombros
Mas sim, como se finalmente eu a pudesse protegê-la.
Para hoje perceber que quem me ensinou valentia foi ela
Foi ela que me pegou pela mão e me trouxe até aqui.
Foi ela que ensinou enternecimentos, amorosidades,
E sobrevivência a mulher que hoje sou...
É a essa menininha que hoje agradeço.





O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distância. (May Lu)

flores