REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013



De repente não havia mais pedaços soltos nos meus traços
Uma suave permanência preenchia-me os espaços
Foi quando eu soube que era amor.


E as pálpebras fecham agradecidas
Em oração, pela dádiva da vida.



Que a paz natalina chegue aos nossos corações
Semeando luz, amor e esperança.
Que a expectativa do ano vindouro
Faça-nos olhar para lados
Unindo as nossas almas em caridade.
Que floresça o renovo em nossas vidas.
E o amanhecer chegue rasgando...
As nossas pálpebras encerradas em nós mesmos.
É tempo de desabrochamento...
Deixemos de lado o medo de se doar.
Sejamos solidários...
Pois um mero sinal de ternura 
Já é capaz de sanar a dor de alguém.
Partilhemos à essência divina
Que Deus semeou em cada de nós.
Há esperança de milagre no ar...
Vamos acreditar!
E as nossas mãos em oração ajuntar.
Recebam em tuas vidas as promessas de Deus.
Promessas estas, doadas a nós...
Em nome do seu filho amado Jesus Cristo.
(Muita paz, luz e amor para todos!)

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013


Viver é sentir por inteiro.
É conceber um sentido que nos caiba dentro...
De todos os nossos universos.
Retendo em nós a magia do momento.
Porquanto o tempo é feito de instante a instante.
Onde cada um de nós tem um período para atravessar.
E quando se vive da vida a sua rebentação...
As suas cores
As suas dores e os seus amores
Nada é em vão.


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013


Devemos sim, acreditar, sonhar...
Porém devemos ser do tamanho dos nossos sonhos
E não do tamanho das cercanias em que vivemos.
Deixemos que eles se distendam além...
Como pipas desenhando horizontes
Em olhos-mãos de um menino.
Além de que...
Os sonhos nos ajudam a descobrir
A vastidão que nos habita.
Alimentando a invisível sede das nossas almas.
E cada um de nós têm o coração transbordando de sonhos
Elaborados com as cores guardadas das nossas almas.
Então espreguicemos os braços, as pernas e a alma.
Ao alcance dos mesmos. 
Pois que um corpo sem sonhos é só um corpo.



A caridade é o sentimento mais precioso que existe.
Quando se aprende sobre a caridade
Também se aprende sobre a ternura
E a delicadeza.
Caridade é ter o coração batendo fora do peito.
É amor espalhado e infindável.



quarta-feira, 11 de dezembro de 2013



Não há equívoco nos planos de Deus.
Quando deixamos ele trabalhar em nossos corações
Nada acontece em nossas vidas por engano.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013



As descobertas mais bonitas
Por vezes estão ao alcance dos olhos.
Basta somente olhar de maneira diferente...
Talvez com mais ternura.
E buscar o novo em tudo que você já viu.
Mas possivelmente ainda  não sentiu...
Os milagres que lhe sustentam a alma.
Essa variedade de milagres
Estão na maneira correta
Que se direciona o coração.
De repente se aprende que a magia
Não está nas mãos de quem as pratica.
Mas sim nos diferentes olhares
Daqueles que a contempla e acredita.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013


Há quem diga que não posso voar.
Entrementes as asas que tenho dentro...
Fazem voos infindos.
É só acreditar e deixar-se ir com o vento.
Mas tem um segredo...
Há de se ter leveza no coração.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013


Insisto e persisto em ter somente as delicadezas da vida
Nas palmas das minhas mãos.
Porém se me vierem as turbulências
Farei delas doçuras.
Pois foram as dores que me ensinaram sobre o amor.


sexta-feira, 29 de novembro de 2013


Somente quando aprendi a despir-me do crepúsculo
Que a voltei a amanhecer.



terça-feira, 26 de novembro de 2013



A vida é muito curta para dar satisfação a malquerença.
E alimentar a mágoa...
Por isso Insista e persista na grandeza do amor.
Não desperdice seus dias bebendo doses de tristezas.
Isso só vai lhe trazer gosto amargo na boca...
E quiçá lhe enche a alma de fel.
Beba doses de alegrias
Escolha ser feliz, sorria.


domingo, 24 de novembro de 2013


Gosto quando a vida me abraça
Com uma felicidade mansa.
Olhando-me dentro...
Sem truques e sem manobras.
Com seu olhar apenas me dizendo
Do deslumbramento das promessas.
Sem o exaspero dos assombros
Estampado em seu rosto.
Quando as dores, as lágrimas...
Me são sempre uma incógnita.
Não fujo as regras da vida.
Mas fatalidades imprevistas
Por vezes me minguam as forças.
Os seus espantos tendem a furta-me o colorido...
Aguento e reinvento.
Mas não nego que o "esperado” é-me benfazejo.
Por isso sou-lhe grata 
Quando ela bota um pouco de poesia no olhar.
E me dá aquele abraço bondoso.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013



Coisas que ela espalha pelos cantos...
 O sorriso: Quase sempre começa desabrochando devagar
E aos poucos "entorna" pelos cantos da boca.
O olhar: Acredite, ela parece ter-lhe um mundo anexo.
Em imensidão de doçura...
Que aos tantos lhe transborda pelos cantos dos olhos.
A alma: Ela possui uma dessas almas grandes...
Carregada de sentimentos bons
Que não lhe cabem dentro do peito.
Então ela espalha e espalha...
Aqui e ali
Vai deixando pedacinhos de si.
E o coração?
Ah! Esse...
Ela unicamente o segue
Ele lhe vai abrindo caminhos
E colocando delicadezas dentro.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013


Sejamos sempre o melhor que pudermos ser
Para nós e para os outros.
Porque o melhor sempre há de frutificar em genuíno.


domingo, 17 de novembro de 2013


Que me venha alegrias
Que me seja paz
Que os ventos soprem serenos
Que os dias sejam de luz
E que as noites sejam de repouso
Está é minha oração de cada dia.
Que a vida se mostre doce
Pois que usei todas as minhas cores
Quando ela me deu dias escuros.
Às vezes pressinto que ela me querer furtar
As cores que ao meu redor espalhei.
Ah, mas eu não canso de orar.
E as suas afrontas estou a vencer.


quarta-feira, 13 de novembro de 2013


Alicerce a tua alma com sentimentos puros
E ela lhe dará sustento nos dias de ventanias.




terça-feira, 12 de novembro de 2013


Quando a caridade mora dentro...
As asperezas da vida ensinam gentileza.



segunda-feira, 11 de novembro de 2013


Há-nos tristezas com garras
E dores com amarras.
Daquelas sem anestesias
Onde cada minuto dura eternamente...
Vai se espalhando e espalhando dentro.
Até desaguar pelos poros
Pelos olhos
Pela boca
Como se quisesse nos virar do avesso.
Céus!
Parece que é pra sempre.
Todavia os ventos vêm e vão...
E os mesmos ventos que trazem
Também hão-de levar.
Tudo passa!
Mas há de deixar acontecer...
Há de abrir portas e janelas.
Para os ventos soprarem em nossa alma,
Em nossa carne,
As nossas lágrimas,
Nossos suspiros e nossos ais.
Deixemos soprar...
Sintamos o coração fluir.
Que a paz nos haverá de chegar.





domingo, 10 de novembro de 2013


Oh não, nem venha!
Não me olhe com esses olhos secos...
Valei-me, dessa sua cara azeda.
Desses seus tentáculos alongados.
Sai pra lá tristeza!
Nem me venha com lamentos.
Não me perturbe com seus tormentos.
Não tenho mais tempo para os seus tédios...
Ser feliz ocupa-me todas as horas.

sábado, 9 de novembro de 2013


Os milagres mais bonitos estão nas pequenas coisas...
Se o teu olhar fazer esse caminho
Compreenderás melhor a grandeza de Deus.
Há imensidões em suas pequenas obras-primas.



sexta-feira, 8 de novembro de 2013


Por vezes à noite dentro da noite é imensidão...
A negritude se arrasta em ritmo dormente.
Os sons, as sombras se movimentam em totalidade de inércia.
No alto a lua aparece magoada e envergonhada
Se escondendo por trás das nuvens.
À espreita a solidão vai chegando de mansinho...
Se esticando noite adentro.
Escondo-me fugindo dos seus sussurros.
E com medo dos meus escuros
Anseio que me amanheça.







terça-feira, 5 de novembro de 2013


Que me seja doce o desembrulhar das delicadezas de cada dia.
Pois que, são elas que me embalam o sublime à alma.
Vagarosamente procuro absorver o tudo de cada ternura;
Não quero perdê-las tão rápido para as agruras da vida.
Dou voltas e voltas dentro...
Habitando espaços que me brotam no peito.
É a vida derramando-me aromas, cores e sabores.
Espalhando aqui e ali
O singelo à prova do tempo.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013


Porque espalhar ternuras nos deixa com cheiro de flor quando ri.


sábado, 2 de novembro de 2013


De repente descobri...
Que o caminho podia ser mais bonito
Com você caminhando ao meu lado.
E as asas avivaram-me os pés a irem além...