REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

sábado, 5 de maio de 2012

A utopia da melodia


São sons ternos que germinam
Na docilidade da música 
Que sai do seu violino
São como bicas de água escorrendo
Em meu oásis sedento
Na utopia deste momento
Sou realidade e fantasia
Embalada pelo som da melodia
Pela força que dela emana
Sinto-me cada vez mais envolta
Nos acordes que em mim navegam
Como se estivesse em uma longa viagem
Igual ao pássaro livre à voar...
Num ritmo que desperta em mim
Todos os sonhos
Todos os desejos da mulher
Que se perde em devaneio
Na dança da alma que baila
Num movimento constante
Da música que tem dentro de si.


Só por hoje de rosa vou vestir


Decidi...
Que hoje vou vestir-me de rosa
De certo modo a minha alma encobrir
Silenciosamente, a realidade que a cerca...
No oceano da verdade atroz
Sufocada pela dor da saudade
O grito mudo de um coração em pedaços
 Decidi...
Que vou sorrir, mesmo tendo vontade de chorar!
E quando a noite chegar
Trazendo consigo a escuridão
Deixarei somente uma lágrima rolar
Zombeteira, 
Desenhando-me a dor pela face... A solidão!
Decidi...
Que quero deslizar por aí
Andando nas pontas dos pés
Flutuando na cor que me veste...
Decidi...
Que só por hoje de rosa vou vestir!



Sedenta de mais bondade e ternura


Hoje acordei com vontade de ser feliz
E viver cada momento que a vida oferece
Sedenta de mais bondade e ternura
De palavras sussurradas ao ouvido
De ter o sorriso num rasgo
 Ao perder-me na doçura de um olhar
E embalar-me na ternura de um abraço
Em mãos inundadas de afeto
Hoje sou...
Estou...
Na meiguice de cada momento
Num tempo perdido no tempo
Onde pinto as emoções na palma da mão
Do amor sentido... Em consagração!
Com as horas não querendo ir embora
Hoje acordei querendo de dentro pra fora.

Tão breve o encanto


Tão breve o encanto
A beleza de uma nuvem passageira
Encantamento que é levado pelo vento
Passa tão rápido quanto um pensamento
Ficando perdida nas linhas do tempo
Tão breve os sonhos que tenho contigo
Num arrebatamento da alma
Ainda nem sei se dormia
Sedenta do teu corpo no meu
Das carícias que sempre mendigo
E ainda mal refeita do sonho
Percebo a grande ironia
Ao olhar o lugar vago e frio ao meu lado
Estou sozinha perdida no breu.