REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Minha maneira de ver o mundo


Gostaria tanto...

De poder colocar em palavras todos os meus sentimentos
 Descrever aquilo que me está atrás dos pensamentos

De absorver minhas emoções
 E transportar para o papel todas as sensações

De poder soletrar ao mundo
Aquela que me habita o profundo

 De encontrar uma maneira de expressar
As minhas formas de sonhar...
Que cada letra, cada sílaba que goteja no papel
É-me o retrato da alma fiel.

Gostaria tanto...
De cantar uma canção que fale da vida
Sem a angustia da despedida.

De aprender com a grandeza do mar
E em suas águas poder navegar

De bailar como uma criança
Vestida de esperança

De ser mágico e transformar o choro em alegria
E ouvir as gargalhadas em harmonia

De nunca haver de contemplar
Alguém que deixa de no amor acreditar

Gostaria tanto...
De ouvir o grito surdo do silêncio
Que os meus anseios são o prenúncio
Das minhas palavras ganhando vida
Na aquecida seiva dos meus sonhos

Onde imagino juntos...
O amor, a paz e a esperança
Formando uma poesia inteira
Em um mundo criado de outra maneira
Não mais um mundo que gira em torno de si
Mas um mundo que segue em frente...

Gostaria tanto...
De mais afagos da vida.


Uma visita inesperada


Dona tristeza chegou de mala pronta
Uma visita inesperada 
Batendo á minha porta
Mas teve de se por em retirada
Aqui os quartos estão cheios
Não existe mais vagas
Pois a alegria veio por um tempo
Em meu coração fazer morada
Chegou às asas do vento
Compareceu de alma limpa
Veio de cara lavada
Com suas forças renovadas
Então dona tristeza
Pegue sua mala cheia de lamento
E se coloque em debandada
Agora é tempo de encantamento
A casa está repleta de enternecimento
Cheia de felicidade contagiante
Com o mesmo brilho de antes
Do meu tempo de criança
Em que os sonhos me aqueciam
E das suas investidas me protegiam
Quando foi que os perdi não sei
Só sei que você dona tristeza
Chegou mansamente
Pondo-se a caminhar ao meu lado
 E tua frieza me alcançou o coração
Fazendo-me da alegria perder a noção 
Estive cercada de uma multidão
 Porém perdida... Em retiramento
Presa por laços de isolamento
Passei a acreditar que assim não me feria
Silenciosamente eu vivia
Entretanto um dia ao abrir a porta
Dei de cara com a alegria
Chegando cheia de festa
Irradiando euforia
Fazendo os meus olhos vibrarem
Das cores que eu via lá fora
O mundo me sorria cheio de magia
 Das mesmas cores em outrora
As cores da primavera
E você dona tristeza
 De cara amarrada fez as malas
E foi embora...
Hoje de novo me bate a porta
insistindo 
Querendo entrar
Chegou abrindo a mala da melancolia
Colorida em preto e branco
Esquecida das outras cores
Acreditando que a felicidade está em ser triste
Insiste em não me deixar...
Mas desta vez da minha porta não vai passar
Em meu coração há um novo acontecimento
A alegria me sussurra um contentamento
 Ao lembrar-me dos motivos que tenho para sorrir
Dos meus vôos plenos e serenos
 Em meio aos rascunhos da minha poesia
Onde há uma alma transparente e sensível
Carregada de sonhos e amores
Que me faz prosseguir
E descobrir que posso misturar várias cores
Em uma mala cheia de preto no branco
Uma sensibilidade que ultrapassa
Tudo aquilo que apenas vejo
Que me enternece a alma
E faz-me acreditar que do lado de dentro da porta
Eu posso ser quem eu desejo
Em linhas que me abrandam
Nos versos que me acalmam
Nas cores dos meus poemas
Portanto dona tristeza
Dessa vez para ti a porta está fechada
Tenho a alma em alvorada...