REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

sexta-feira, 23 de março de 2012

Primavera


Hoje posso olhar para o passado
Olhar dentro dos olhos
E ter uma serena visão...
É-me primavera
Depois de um rigoroso inverno.
Venho de tormentas violentas
Feito nau a deriva.
Porém cheguei a salvo.
De minhas dores 
Fiz o transporte para o cais.
Cheguei renovada
Descansada de todas as lastimas.
Cheguei abraçando minha paz
Minha gente
Minhas flores
Meus amores
Corações do meu jardim.
Encontrei a emoção perdida...
Tudo tão certo
Tão perto.
Ao alcance das mãos
E do coração.
Bastou agarrar sem medo
De ficar.
De acreditar
Que eu podia e devia ser feliz.
Devo dizer 
Que em algum lugar do passado
Eu plantei as sementes
Que hoje são rosas no meu jardim
Os espinhos?
Ainda existem
Fazem parte do roseiral.
Entretanto não me ferem mais
Tenho as mãos calejadas.
Foram anos de prática em jardinagem...
 No entanto trago elas perfumadas
De todas as estações vividas.
Cheguei finalmente à primavera.


Riacho doce


O riacho ao fundo do quintal
Era meu refúgio
Minha doce lembrança
Das minhas horas de fuga
 Onde deixava meus farrapos...
Minhas dores e medos
Escorriam em suas abundantes águas 
Levados à quilômetros de distância
Pelas copiosas correntezas 
Balançando suas crinas
Eu me via no reflexo espelhado das águas
Eu quase me reconhecia 
Em meio aquela visão deslumbrante
Entre os musgos e peixinhos
Em minha iminente sanidade
Divisava um meio-sorriso no canto da boca
Um brilho fugaz me iluminando os olhos
Num reencontro comigo mesma...
Mais serena e mais forte
Eu retornava em silêncio 
Caminhava para casa
Para estar novamente
Cara a cara com meus demônios.