REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

segunda-feira, 19 de março de 2012

Vou cavalgar com o vento


Vou cavalgar
Soltar a alma no vento
Antes de o tempo chegar
À beira...
 Vou Correr o mundo
Sem saber aonde vou
Vou cavalgar com o vento
 Junto às estrelas no céu
Respirar os vendavais
 No profundo
Dos sentimentos
Vou escapar
E fugir como o ar
Por uma fresta rasgada
 Pela luz
Que vaga 
Dos Brilhos do dia
 Quero ter o calor 
O fulgor
Do corpo da lua
Do brilho do sol
Roubar o alento da brisa
E cavalgar com o vento
Ir além...
Deixo as peças espalhadas
Na mesa
 Outro alguém
Talvez as hajam de jogar.
 

Preciso voar


Queres ganhar o mundo
Entretanto mantêm-se fechado
E o que lhe cabe é muito pouco
Pedes-me um tempo
Para poder colocar o pé no chão
Porém eu não tenho tempo
Preciso voar
esqueces
Que o chão podes nos faltar
 E que temos de manter os braços abertos
Estás sempre nesse vai e vem
Em zoom
Aonde não me cabe
Não me sei dividir
Não sei estar presa num trapézio
A balançar...
Quero voar
Sem rede
Mas bem sei que se cair
Posso quebrar-me
E nem tudo que quebra
Volta-se a colar
entretanto
Não haverá tempo
Para chorar minha dor
Estarei voando
Num voo derradeiro
Todavia não terei medo
Pois o que se mata
É não atravessar o dia
É não ver o que esconde a noite
É não sentir o vento
Ouvindo-o passar
É não sentir o peito rasgar
Ardente e quente
E um coração acelerado
 descompassado
A bater nas alturas
É não voar...
É viver sem ter vivido
É querer o mundo de mãos fechadas.

Eu trago-te comigo


Lá fora
As pessoas fingem
Fogem a verdade
Tentam preencherem o vazio
Escondem-se atrás dos sorrisos
Enquanto brindam
dançam
 Divertem-se
Fingindo uma liberdade
Que na realidade não existe
Estão presos à inquietação
Ao medo
De se olharem no espelho 
E admitirem que a vida seja mais 
Que encontros vazios
entretanto 
Fui lhe descobrindo 
Entre os sonhos meus
E pouco a pouco
Eu lhe abri a porta 
agora
Eu trago-te comigo
Cada sorriso teu
Cada momento
Passados juntos
E lhe conservo junto a mim
Um amor
Que a vida toda procurei
Guardado só para ti
Eu sinto muito 
 Muito sua falta...
Porém
Trago-te comigo
Sei que o caminho só é feito
Para quem quer amar
Não importa o quanto
Celebram-se vitórias
Ou derrotas
O importante é 
Que não sejamos sombras
Com medo de acreditar
 Nos sentimentos
De viver...
Dando vazão as emoções
Não se deve temer a direção 
Dos ventos
O tempo...