REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

domingo, 18 de março de 2012

Um velho Cansado

Um velho
Cansado... Sentado
 Olhar parado
Triste...
Olhando o relógio do tempo
 Que gira cada dia mais devagar
atento 
As horas que ainda lhe restam
 Refugia na solidão
Mergulhado em recordações
Parece só ouvir o tic e tac do relógio 
Dizendo que não há mais tempo
Para sonhar...
Tantas gentes passam por ti
Perdidas em seus próprios mundos
Vivendo sonhos 
parecidos
Ou mesmos iguais
Aos que um dia já foram sonhados
Por ti
E te olham com desprezo
Parecem fugir da visão
A imagem do abandono
De quando forem como tu
Um velho esperando o fim...
E serão outros ocupando o velho banco 
No jardim da vida...

Eu sou igual a ti


Vem...
 abraça-me 
Levanta os teus olhos
Olhas para mim
Cá dentro
Procuras onde me escondi
confesso
Que tenho medo
De dar a ti
O que tenho guardado
No profundo
Tudo que tento salvar
entretanto
procuro
E espero por ti
Estendo minha mão até te tocar
Abra-me a janela
E vem me encontrar
Desde muito longe que sei 
Que és a minha cura
Sei que se sente confusa
Nesse meu labirinto
Sem rota
E que também tem medo
De sair do fundo
Que em cada canto escuro
Tu és igual a mim 
E em cada rumo que procuro
Eu sou igual a ti
Alma de dona
És tu em mim
caminho
Que preciso caminhar...


Não posso te soltar mais


Acredite...
O tempo é sempre o hoje 
Não o depois
quero
O agora... 
Com tudo o que tiver
Com tudo o que traz
dentro 
 Sem medos... Sem assombros
Se tu me acreditas
Agarre-se ao meu mundo
Não quero mais rodeios
Nem demoras
Venha o que vier 
Quero-te em mim agora
aqui
inteiro
Nos meus dias
Nas minhas noites
Não posso te soltar mais
Eu sinto a tua falta...

Para quando te sentires só



Tento esquecer a mágoa 
E guardar só o que é bom
Tento entender
Cada olhar que não colhi
Cada abraço que não recebi
Preciso compreender
O que é que eu tenho direito
Pois por mais que eu agarre 
Sinto o lugar sempre vazio
Às vezes só as cinzas me sobram
A encher-me os lugares ausentes
Juntamente com essa saudade
De algo que nunca tive 
Do tudo não vivido
Silêncio... 
Abençoada mordaça
Álibi do meu grito estrangulado
Na garganta
Onde guardo o espanto
A raiva
De esperar...
Pelo sopro do vento no deserto
Pela brisa fresca e mansa
A trazer-me a chave da aurora
Enquanto anoitece-me e escurece
Enquanto estou aqui
Para quando te sentires só.


O amor sabe esperar


Amiga,
Hoje eu dei mais um passo
 Na sua direção
Vencendo mais um pouco
A distância que nos separa
Está chegando perto o dia
Em que vou poder te olhar
Olhos nos olhos
Deixar de lado essa expectativa 
Que nos separa
O amor sabe esperar
Bem sei que nasci para te amar
Amor sem medidas
Sem fronteiras
Tuas alegrias tão minhas
Teus sofrimentos tão meus
Ventre que me dá vida
Minha essência... Meu sumo
Mesmo afastada
Teus passos 
Não tão longe dos meus
Pois estamos no mesmo abrigo
Do coração
Da alma
Eu sinto tuas lágrimas não derramadas
Teu choro contido
Jubílo com seus sorrisos escancarados
De um lado ao outro
Um dia você vai voltar para mim
E nunca mais... Nunca mais
Iremos nos separar
Novamente te encontrarei
No pedaço de mim
Que me afastei...