REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

segunda-feira, 12 de março de 2012

(D)entro de si

Presa no (l)aço...
(F)era imensa
O tigre (v)elando
(D)entro de si
(S)ondas que movimentam
Na profundidade...
Onde não (s)ou não me tenho
(S)ou ainda um segredo
Que segue
(Dev)orando em silêncio
Por (des)caminhos possíveis
(R)ente à raiz de mim...

Presa pelo anzol


Ainda sou um corpo
Uma isca
  Dentro de um oceano 
Que me arrasta
E me afoga
Presa pelo anzol
Em suspenso
Sangro um pouco mais
À espera da alforria
Quando o ventre da terra
Irá me transmutar em pólen
Germinar alma livre
Em emanação...

Extrema-unção


Traz nas mãos a ilusão
Esta nua e sem visão
Vazou o sangue
Dos olhos da alma
De tanto tatearem caminhos
Os dedos pedem redenção
Recolhem-se... À espera
No ventre do tempo
Que se cave a vala.


Eu... tu O tempo


Nada vejo do tempo
Além da nudez do corpo
Imagens de um torso
Sem rosto
Eu... O tempo
Sem paisagens
Coexistindo juntos
Em silêncio
Sonhando
Acolher as mãos cheias
De flores.

Não sou nem a saudade


Trago o tempo perdido na palma da mão
Não existe ninguém aqui dentro de mim
 Não sou nem a saudade
Não adianta tentar manter o coração aberto
Se aqui do lado de fora nada sobrevive
Sou chama consumida
Sou efígie
nua 
Os olhos cansados dentro do peito
Não saem à cata...
Não guardo nada na gaveta
Sou semente plantada em solo bruto
Nada sei de brotação
Não tenho os poros abertos
Só matéria inerte
Infecunda...



alma que caminha só


Quando se caminha só
É uma estrada solitária e longa
O coração é ilha perdida
É alforria no peito
É mergulho no profundo do mar
Mesmo que mire o horizonte
Pouco se sabe do futuro
Alma que caminha só
Sem querer bem ao corpo
Soturna tua chama
Segue por um mesmo caminho
Sem busca
Solidificada em noite
Só te resta morrer.