REVELAÇÃO

"Hoje,

Caminho de mãos dadas

Com a felicidade.

E uma enorme vontade de viver...

Sem partida, nem chegada.

Somente uma viagem..."

May Lu

"Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama,

Acorda e põe sua roupa de viver."

Clarice Lispector

"Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade"

Oswaldo Montenegro

cultivando flores

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."

"Alguns procuram a felicidade, outros a criam."
O que é bonito tem vínculos dentro do tempo e da distancia. (May Lu)

terça-feira, 2 de outubro de 2012

oh saudade!


Ah saudade!
 Só quem amou
Sabe onde você mora
Aprendeu a eternizar
Esse sentimento em si
Oh saudade!
Tu és a miragem de um milagre 
Muitas vezes impossível
Um sentimento que nem sempre o olho vê
Porém de uma alma que muito te sente
E enquanto estiver lá...
É permitida certa melancolia
Tempos?
Passado, presente, futuro
A senhora lembrança...
A suave ou dolorida recordação
De algo ou alguém que se deseja de volta
É a nossa história.



3 comentários:

edumanes disse...

Oh saudade que te perdeste
Onde andas tu que não te vejo
Porque longe de mim ficaste
Encontrar-te é o meu desejo!

Onde moras tu agora
Me dá o teu endereço
Com saudades se chora
Longe de ti desmerece!

Boa terça-feira para você,
amiga may lu,
teu lindo nome menina
Quem foi que escolheu
Quando eras pequenina
A beleza contigo nasceu.

Beijinho
Eduardo.



Graça Pereira disse...

Minha companhia,é saudade
minha sombra na vida...
Sem ela, a felicidade
estaria já perdida!

Não é triste a saudade
e muito menos vazia...
trás-me alguma felicidade
e está comigo em sintonia!

Ai se não fosse a saudade
não poderia cumprir a minha sorte
Ela é amor e amizade
meu caminho até à morte!

Beijo
Graça

O Profeta disse...

De folhas de Outono se coroa uma tonta
Lancei pedras sobre as ondas furiosas
Teimosamente arde neste peito uma raiva
E vi muito lixo num covil de raposas

As coisas que um poeta vê
As coisas que que invadem uma alma demente
Num silencio contaminador, estonteante
Ouvi palavras de amargo presente

Cheguei finalmente a uma certa praia
Fiquei encoberto por uma mancha de gaivotas
Na impressionante fachada da minha alma
Fecham-se com estrondo todas as portas


Doce beijo